quarta-feira, 23 de março de 2011

"Que dê muito certo ou errado. Não importa. Eu nasci para ser corajosa"

”Andei amando loucamente, como há muito tempo não acontecia. De repente a coisa começou a desacontecer. Bebi, chorei, ouvi Maria Bethânia, fumei demais, tive insônia e excesso de sono, falta de apetite e apetite em excesso, vaguei pelas madrugadas, escrevi poemas. Agora está passando: um band-aid no coração, um sorriso nos lábios – e tudo bem. Ou: que se há de fazer.

Um comentário:

Cεcília disse...

Eu nasci para ser corajosaaa, é isso aíí!!!